Se você está se perguntando o que é o digital branding, nada mais é do que a combinação de esforços do branding tradicional com o marketing digital. Portanto, estamos falando de um trabalho de gestão de marcas voltado e adaptado ao ambiente online.

A técnica utiliza as plataformas digitais para fortalecer o posicionamento de uma marca, criar aproximação com o público, transmitir a cultura para o consumidor, além de, claro, divulgar os produtos e soluções. 

E você já parou para pensar nas próximas tendências de digital branding para 2022? Muitas técnicas que abordaremos a seguir já são faladas há alguns anos. Agora, elas ganharão ainda mais força e serão colocadas em prática por muitas empresas. Conheça 5 técnicas:

Design inclusivo

Diversidade e inclusão é um tema que está sendo cada vez mais discutido. Afinal, o mundo demorou, mas finalmente percebeu que somente com a diversidade e inclusão de diferentes pessoas é que se encontra o crescimento. 

Isso não é diferente quando se trata do branding de uma empresa. É fundamental levar em conta a pluralidade de usuários que interagem com uma marca no meio digital. É hora de pensar em suas peças de maneira mais acessível e inclusiva, com opções mais abrangentes de input, layouts responsivos, paleta de cores personalizável e  audiodescrição, por exemplo.

Data visualization

Quando falamos em dados, muitas pessoas torcem o nariz por ser um tema complexo de entender. Números, gráficos e porcentagens podem parecer muito confusos em um primeiro momento. Por isso, o data visualization é uma técnica de design com o objetivo de promover a visualização interativa e funcional de dados, através de apresentações capazes de facilitar o entendimento das informações.

O diagnóstico de um problema ou o resultado de uma pesquisa só serão completos a partir do momento da divulgação dos dados gerados e do entendimento de cada um deles pelas pessoas envolvidas. Quem não estiver pronto para ler e interpretar corretamente as informações, deixará escapar uma riqueza capaz de gerar um retorno fantástico.

Campanhas com conexões mais profundas 

Os consumidores estão cada vez mais cansados ​​de empresas sem um propósito social, voltadas apenas para o lucro próprio. Em 2019, a Accenture Strategy realizou uma pesquisa mostrando que 83% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas que defendem propósitos alinhados aos seus valores de vida. Ou seja, os valores de uma empresa já são um determinante para a compra ser realizada ou não.

Mas, é preciso tomar cuidado para o discurso não ser superficial. Em 2020, o Nubank passou por um problema assim: o banco digital se posiciona como uma empresa diversa, mas bastou uma entrevista da alta administração para o público perceber que, na prática, as coisas são diferentes do discurso nas redes sociais.  Cristina Junqueira, co-fundadora do Nubank, quando disse no programa Roda Viva, que a instituição não podia nivelar por baixo no momento da contratação de negros, revela um despreparo dos líderes para lidar com questões importantes de posicionamento. 

Conteúdo personalizado

Vivemos em uma época de produção de conteúdo frenética. O que acontece erroneamente, é a produção de conteúdo sem estratégia focada nos leads e clientes. Não faz sentido fazer ofertas e mandar mensagens que não agregam em nada para os seus diferentes públicos.

Por isso, é muito importante investir em conteúdo personalizado, focado em um relacionamento duradouro e real com os seus consumidores. Com as possibilidades oferecidas pela automação de marketing combinadas pela segmentação, é possível criar jornadas super personalizadas. 

Branding disruptivo

Cartaz para Cause Clubby Amanda Lobos

Layouts aparentemente bagunçados, palavras confusas e obras de arte amadoras são todos os tipos de anti-arte que vemos cada vez mais no design de marcas. Muito disso terá inspiração dos anos 1990, caracterizado por interfaces “grosseiras”, frames primitivos e cores mais intensas. 

Projetos de marca dinâmicos e ousados, completos com cores neon rosa e amarelo, fontes nada convencionais (e até mesmo com estilo manuscrito) estão ajudando os designers a dar às marcas identidades visuais divertidas e brilhantes.

 

As tendências para o digital branding em 2022 mostram que muitas técnicas já vêm sendo faladas há alguns anos. Outras são novidades. Isso também não significa que a sua marca deve sair correndo para aplicar todas de uma única vez. É importante entender e estudar se a ideia é válida para o seu negócio e, se for, a melhor maneira de usá-la. 

Conte com a ajuda de quem entende do assunto, entre em contato com a Aliens Design!

Leia também: Quando custa uma agência de design? Por que contratar?